A+ A A- Tamanho de Fonte C Contraste 简体中文EnglishFrançaisPortuguêsEspañol

Com o 'Na Fábrica', Governo visita instalações da Cooperativa Agrícola Mista de Tomé Açú (CAMTA)

O projeto, realizado por SEDEME, FIEPA e CODEC, permite comunicação direta entre o Governo do Pará, o setor produtivo e entidades de classe para apoios institucionais

Momento da visita da equipe do “Na Fábrica” à Cooperativa Agrícola Mista de Tomé Açú (CAMTA), no nordeste paraense. Foto: Ascom Fiepa

Em mais um capítulo da interação direta entre a base produtiva paraense e o Governo Estadual, a equipe do projeto “Na Fábrica” conheceu, na última sexta-feira (13), as instalações da Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açú (CAMTA), no nordeste do Estado. A iniciativa, que já visitou sete indústrias paraenses em 2020, tem o objetivo de valorizar e potencializar as vocações produtivas locais, além de promover a comercialização em larga escala. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), a Companhia de Desenvolvimento Econômico do Estado (CODEC) e a Federação das Indústrias do Pará (FIEPA) realizam o projeto.

Carlos Ledo, titular da SEDEME, ressaltou a relevância da CAMTA no cenário econômico paraense. “Essa visita foi fantástica. Eu fiquei muito bem impressionado com a empresa. Uma empresa que emprega mais de 150 pessoas do município, que, felizmente, nós conseguimos incentivar ela em setembro. É uma empresa de ponta, de primeira”, afirmou.

De acordo com a Secretaria, o objetivo do projeto é garantir a presença do Governo do Pará e da FIEPA nas indústrias por meio de visitas às unidades fabris, para conhecer e entender estruturas produtivas e de competitividade. Em seguida, a proposta é criar um canal de relacionamento para que as políticas públicas sejam plenamente efetivadas.  No caso da CAMTA, a busca por estímulo tributário teve retorno positivo no mês de setembro, com a renovação do incentivo fiscal já concedido pelo Governo do Pará anteriormente.

A CAMTA vende cerca de 400 t de polpas de fruta por mês para municípios do Pará, Maranhão, São Paulo e países como o Japão e EUA. Foto: Ascom Fiepa

Sobre a empresa - Com quase 90 anos de existência no mercado, a cooperativa de Tomé-Açu trabalha na produção de hortaliças, arroz e pimenta–do-reino, porém, devido ao declínio desta última cultura, precisou expandir seu campo de atuação por meio do consórcio de várias espécies de plantas frutíferas e florestais nas áreas decadentes de pimenta, diversificando a produção por meio do desenvolvimento de Sistemas Agroflorestais, em Tomé- Açu, (Saftas), que transformaram a região em importante polo exportador de frutas tropicais e referência no desenvolvimento, inovação e disseminação da tecnologia de SAFs no Brasil e em países como Bolívia e Ghana.

Atualmente, a CAMTA comercializa cerca de 400 toneladas de polpas de fruta por mês, com destino a municípios dos Estados do Pará, Maranhão e São Paulo, além de países como Japão, Estados Unidos e de parte do continente europeu. “Agora nós estamos trabalhando com produtos de maiores valores agregados, que é o sorbet e a fruta in natura. Nós apostamos muito no potencial do Pará”, destaca Alberto Oppata, presidente da Cooperativa.

O vice-presidente da FIEPA, engenheiro José Maria Mendonça, fez questão de ressaltar a importância de se priorizar a marca da Amazônia. “A gente fica muito feliz porque é essa a ideia: o Estado conhecer as suas indústrias e, com isso, poder fazer benefícios pontuais e necessários para a região ainda crescer muito mais”.

“A CAMTA é uma cooperativa quase secular no Pará, é referência”, avalia o diretor de Atração de Investimentos da Codec, Manoel Ibiapina. Foto: Ascom Fiepa

O cooperativismo também foi um ponto observado pela comitiva. “A CAMTA é uma cooperativa quase que secular no Estado do Pará, muito organizada, referência para o cooperativismo da Amazônia, bem sustentável, sempre com um apelo social muito forte, sem deixar de ser produtiva”, avalia o diretor de Atração de Investimentos da Codec, Manoel Ibiapina, que na visita a Tomé-Açu representou o presidente da Codec, Lutfala Bitar.

O coordenador de Desenvolvimento Econômico da Sedeme, Mauro Barbalho, destacou o trabalho que vem sendo desenvolvido pela gestão estadual junto a entidades semelhantes. “Desde o ano passado, início da nossa gestão, nós nos aproximamos muito do cooperativismo e a CAMTA é um parceiro que está desde sempre buscando essa renovação. Nós estamos num projeto muito forte com o Sistema OCB e Sescoop, visando a atender as indústrias cooperativistas também com incentivo fiscal”, afirmou.

Além da Camta, em Tomé Açú, o projeto "Na Fábrica" já passou pelas empresas Poly Perfil, Açaí Rajá, grupo Bellamazon, Papaguara e Vitória, Açaí World, Tintas Veloz, todas na Região Metropolitana de Belém (RMB), e ainda visitou a Companhia Têxtil, em Castanhal.

Com informações da Comunicação da SEDEME